Mais Fisio

Textos

Material de Consulta e Referência

Você conhece uma patologia chamada Ombro Congelado ou Capsulite Adesiva?

« voltar
Ocorre uma inflamação, fibrose e rigidez da cápsula articular (membrana que envolve a articulação do ombro) e diminuição da quantidade do líquido sinovial (líquido muito importante para mobilidade) da articulação do ombro.

Causas: é considerada uma doença idiopática, ou seja, sem causa definida mas sabemos que algumas patologias podem contribuir, são elas: trauma no ombro, doenças sistêmicas (diabetes, hipotireoidismo, doenças cardiovasculares, doenças autoimunes, alterações hormonais) e episódio anterior de capsulite no ombro contrário. Doença mais comum em mulheres entre 40 e 65 anos.

Sintomas: os principais sintomas são dor intensa inicialmente e perda de mobilidade (principalmente flexão e rotação externa). Podemos dividir essa patologia em 3 fases:
1a – Fase Dolorosa ou Inflamatória: inicia-se com dor ao movimento que aumenta com o passar do tempo (semanas), piora a noite. (fase dura cerca de 2 a 9 meses)

2a – Fase de Congelamento ou Rigidez: com o passar do tempo a dor vai diminuindo e a perda de mobilidade vai aumentando, nesse momento o ombro fica duro, o paciente não consegue mover. Até tarefas simples como vestir camisa, coçar as costas, fechar sutiã podem ser impossíveis. Nesse momento a dor só aumenta se o paciente tentar ultrapassar esse ponto de restrição de mobilidade. (fase dura cerca de 4 a 12 meses)

3a – Fase de Recuperação ou Descongelamento: após cerca de 1 ano de dor e incapacidade funcional o ombro começa a soltar, começa a descongelar, os movimentos vão retornando aos poucos. (fase dura de 5 a 18 meses)

Alguns pacientes ficam com sequelas definitivas perdendo cerca de 15% da mobilidade do ombro.

Como tratar o ombro congelado?
ombro-conceglado
Diversas modalidades de tratamento podem ser utilizadas, as mais comuns são:

Injeção Corticoesteróide - injeção de corticóide intra-articular associado a técnicas de mobilização e exercícios de alongamento são mais efetivas no alívio da dor e mlhora da função comparados a técnicas de mobilidade e alongamento sozinhos.
Educação Paciente - educar o paciente ensinando sobre o curso natural da doença, encorajar a realização de movimentos livre de dor.

Modalidades Fisioterapêuticas - as evidências científicas demostram que o uso de ondas curtas, ultra som, correntes elétricas e exercícios de alongamento para reduzir dor o movimento do ombro não são muito eficientes.

Mobilização Articular - mobilizações articulares também não apresentam grandes resultados no tratamento do ombro congelado.

Esses são os tratamentos mais utilizados, hoje depois de atender alguns pacientes com ombro congelado percebo que com a Fisioterapia (técnicas miofasciais, inibição de ponto gatilho, mobilização articular e exercícios) podemos aliviar os sintomas ocasionados pela dor e pela imobilidade levando bem estar aos pacientes mas não somos capazes de acelerar o processo de cura.